Veja Quanto Ganha um Piloto de Caça da FAB

Dentre as diversas carreiras que existem dentro da FAB (Força Aérea Brasileira), muitas pessoas iniciam o longo caminho de se tornar um piloto de caça. Embora a trajetória difícil e bastante demorada faça com que poucas pessoas se formem de fato como piloto de caça, essa ainda é uma área bastante concorrida.

A concorrência entre os candidatos à formação de piloto de caça ocorre devido aos benefícios de entrar para carreira militar, remunerações e outros aspectos relacionados à profissão. Quer saber detalhes sobre quanto ganha um piloto de caça, como se tornar um e muito mais? Então confira esse post até o final para descobrir.

Força Aérea Brasileira

A FAB é uma das forças que compõem as Forças Armadas do Brasil. Ao todo são três: Exército, Marinha e Aeronáutica. No caso da Força Aérea Brasileira, a força é composta por estratégias de defesa no espaço aéreo, onde um grupo de militares são treinados para proteger o país por meio dessas estratégias de defesa. Como Ingressar na Aeronáutica

Em toda a América Latina, a FAB é a maior força aérea que existe na região, considerando o total de soldados, poder de fogo e número de aviões utilizados na defesa do país. Ou seja, trata-se de uma força muito importante para o Brasil, sendo uma referência em força aérea para muitos países da América Latina.

Já a finalidade da Força Aérea Brasileira é a mesma das demais forças de defesa: defender a Pátria e a constituição federal contra ataques e ameaças internas e externas. Além disso, a FAB junto às demais forças contribui para o exercício da democracia no país, ordem nacional, entre outros aspectos relacionados à segurança brasileira.

O que faz um piloto de caça?

A principal função de um piloto de caça é pilotar a aeronave e combater, por meio de diversas estratégias de defesa, os inimigos em um ataque aéreo. O objetivo dessas estratégias é sempre derrubar aeronaves inimigas. Por causa desse objetivo, foi criado até mesmo uma condecoração para os pilotos de caça com pelo menos 5 abates de aeronaves inimigas. Nesse caso, os pilotos são chamados de “Ás da aviação”.

Diferente dos pilotos que atuam na área civil, um piloto de caça possui responsabilidades que vai além da pilotagem. É preciso saber trabalhar em equipe, ser disciplinado, se dedicar ao trabalho e colocar em prática todos os conhecimentos em situações de ameaça e extremo perigo.

Em relação às funções, pilotar e derrubar aeronaves inimigas estão entre as principais funções de um piloto de caça quando há guerra. Porém, quando não há guerra as funções do piloto de caça podem variar bastante, como: transportar armamentos, explorar determinada região, entre outras. A rotina de um piloto de caça, assim como de muitos militares, não segue uma regra específica, por isso, cada dia pode ser diferente do outro dependendo das circunstâncias de cada momento.

Como se tornar um piloto de caça?

Há basicamente duas formas de se tornar um piloto de caça: ingressando no curso da AFA (Academia da Força Aérea) através do EPCAR (Escola Preparatória de Cadetes do Ar) ou ainda diretamente no CFOAV (Curso de Formação de Oficiais Aviadores). Nas suas formas, será preciso passar pelo CFOAV que é ministrado pela AFA. CPCAR (Curso Preparatório de Cadetes do Ar)

Essas duas opções oferecem concurso público como método de seleção dos candidatos ao curso, sendo que no CFOAV é preciso ter ensino médio completo e no EPCAR é preciso ter o ensino fundamental completo, já que a escola preparatória oferece formação no ensino médio.

Em todos os casos, o concurso público é composto por prova escrita, testes físico, de saúde e psicológico, TAPMIL (Teste de Aptidão para Pilotagem Militar), entre outras avaliações relacionadas ao potencial psicomotor, raciocínio espacial e habilidades cognitivas para a pilotagem.

Os candidatos que obtiverem os melhores resultados são aprovados para o processo de formação. No caso de quem entrou para a Aeronáutica por meio do EPCAR, não é necessário realizar novos testes e provas para ingressar posteriormente no CFOAV. No entanto, é preciso concluir primeiramente o ensino médio na EPCAR.

E se você está pensando que é fácil ingressar em um desses cursos da FAB, saiba que não! Eles são tão concorridos quanto os vestibulares de medicina em universidades federais do país. Já deu para imaginar a quantidade de pessoas que tenta ingressar todos os anos nesses cursos?

Para piorar as provas, testes e avaliações são bastante difíceis. Só passa quem realmente tiver um bom desempenho em todos os itens eliminatórios. Após entrar para um dos cursos, ainda é preciso ter bastante disciplina, dedicação e perseverança para conseguir superar todos os obstáculos da carreira militar.

Quanto ganha um piloto de caça?

O soldo do piloto de caça varia bastante dependendo da patente, especializações e local de atuação. No geral, a Aeronáutica paga R$ 10.585,00 para pilotos de caça avançados. Porém, esse valor varia bastante entre as patentes dos profissionais que atuam como piloto de caça. Por isso, resumimos a seguir as principais patentes de profissionais que atuam nesta área e o salário referente ao ano de 2019. Confira:

  • Soldado (engajado especializado): R$1.856,00; Veja quanto ganha um soldado da aeronáutica
  • 3º Sargento: R$ 3.825,00;
  • 2º Sargento: R$ 4.770,00;
  • 1º Sargento: R$ 5.483,00;
  • 2º Tenente: R$ 7.490,00;
  • 1º Tenente: R$ 8.245,00.

Esses valores são apenas os salários (soldo) de cada um dos militares mencionados. Porém, é preciso ainda considerar que o piloto de caça, assim como outros militares, recebe vários benefícios, adicionais e gratificações, dependendo de algumas situações.

Como benefício, podemos destacar auxílio médico e odontológico para o piloto e seus dependentes, além de auxílio educação para os dependentes do militar. Há ainda os adicionais, que se caracterizam por compensação de extremo perigo ou esforço físico intenso, adicional de permanência para aqueles que já estão próximos da aposentadoria, adicional de especialização para aqueles que continuam estudando, entre outros valores adicionais. Caso o militar atue em regiões inóspitas, é possível ainda receber uma gratificação de localidade especial. Esse valor acrescido à remuneração mensal tem como objetivo estimular a ida de militares a regiões com baixa infraestrutura, além de outros aspectos que tornam o convívio muito mais difícil nessas regiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *