PREPOM (Programa do Ensino Profissional Marítimo)

A Marinha Mercante Nacional representa um importante papel para o Brasil, considerando que o país conta atualmente com mais de 90% do volume comercial destinado ao exterior processado através do mar. Isso significa que a especialização de profissionais, assim como a formação dos mesmos é algo levado muito a sério em todo o país, inclusive pelas organizações de ensino da marinha, como é o caso do PREPOM.

Neste post, explicaremos em detalhes o que é PREPOM, qual é a finalidade dessa instituição de ensino, quais são os cursos ministrados e os pré-requisitos para se candidatar aos cursos do PREPOM. Além disso, falaremos sobre o processo seletivo adotado pela instituição para admissão de novos alunos. Confira tudo isso a seguir e muito mais.

banner PREPOM formandos

 

O que é PREPOM?

O PREPOM (Programa do Ensino Profissional Marítimo) é mais que uma organização educacional, trata-se na verdade de um regime de ensino empregado a todas as entidades que atuam na educação marítima para formar oficiais que atuaram na Marinha Mercante. Esse regime de ensino nada mais é do que todos os esforços concentrados em um conjunto de regras, disciplinas, hierarquias, técnicas, conhecimentos, dentre outros itens que compõem a formação técnica e profissional dos alunos interessados em seguir com carreira militar na Marinha. Site oficial: https://www.marinha.mil.br/dpc/prepom

Administrado pela DPC (Diretoria de Portos e Costas), o PREPOM segue como a modalidade de ensino empregada em todas as instituições de ensino militar da Marinha. Isso significa que os cursos do CIAGA (Centro de Instrução Almirante Graça Aranha), do CIABA (Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar) e da EFOMM (Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante) seguem os mesmos padrões de ensino estabelecidos pelo PREPOM. Esses são apenas alguns exemplos de instituições atreladas ao programa de ensino, no entanto, todas as instituições que atuam no ensino marítimo estão atreladas ao programa de ensino marítimo.

A maior finalidade desse programa é estabelecer o padrão de ensino aplicado pelas instituições que atuam na formação de militares da Marinha do Brasil. Além do padrão de ensino, o programa é responsável por manter um ensino de qualidade entre essas instituições.

Todos os cursos oferecidos pelas diversas instituições de ensino da Marinha são compostos por categorias de formação. Isso significa que cada curso corresponde a uma etapa dentro das categorias que existem no programa de ensino. Por exemplo, há cursos de formação, aperfeiçoamento, adaptação, readaptação, atualização, especial, expedito e avançado. Cada uma dessas categorias relaciona são diferentes características para a formação profissional dos oficiais da marinha. Veja a seguir um resumo dessas categorias profissionais:

  • Formação – esse é o curso básico para quem não possui nenhuma formação profissional que seja útil para a marinha. Nesse caso, o aluno recebe a formação de acordo com a área pretendida dentro dos critérios avaliados pelo PREPOM. Este é o estágio inicial também dos profissionais aquaviários, portuários e outros profissionais com atividades desse tipo.
  • Aperfeiçoamento – já formados, os profissionais podem receber o aperfeiçoamento de seus conhecimentos através dessa categoria de formação profissional. Nesse caso, os alunos recebem conhecimentos para melhorar suas capacidades, desempenho e funções em determinada área de atuação.
  • Adaptação – a adaptação é um procedimento obrigatório para quem já possui alguma graduação, mas deseja seguir com carreira militar na marinha. Sendo assim, eles passam a exercer atividade profissional por meio da adaptação à carreira militar.
  • Readaptação – essa modalidade serve unicamente para readaptar um profissional para outra categoria profissional. Ou seja, quando o profissional deseja deixar sua função para iniciar outra atividade na marinha ele passa pela readaptação.
  • Atualização – como o próprio nome já diz, os cursos desta categoria têm como objetivo fornecer atualizações importantes para as atividades, funções, entre outras questões para os profissionais da marinha.
  • Especial – quando há exigência de qualificação especial, os profissionais da marinha passam por esse tipo de curso.
  • Expedito – dependendo do serviço, o aquaviário ou portuário deve receber a suplementação técnico-profissional para atuar na marinha.
  • Avançado – para cargos e funções avançadas, é necessário realizar cursos desta categoria profissional.

 

Concurso PREPOM e cursos da marinha

Embora o PREPOM não seja uma instituição de ensino, ele é considerado uma organização, pois é a partir desse órgão que são estabelecidos os parâmetros de ensino da marinha. Nesse caso, todos os cursos oferecidos pelas instituições da marinha devem ter os mesmos padrões empregados pelo PREPOM. Por isso, é comum observarmos “Concurso Público PREPOM” ou qualquer anúncio desse tipo.

Isso porque todas as instituições de ensino da marinha admitem os alunos para os cursos a partir de concurso público. Como o padrão do ensino é proposto pelo PREPOM, o concurso público em si leva o nome do programa. Já os cursos ofertados no concurso PREPOM poderão variar muito conforme a instituição que está promovendo o processo seletivo.

Mas de um modo geral, todos os anos há vagas para quem deseja se especializar em áreas como: Hotelaria e Saúde, Secção Mecânica e Secção Máquinas Elétricas. Além disso, há outros cursos muito conhecidos dentro da marinha, como é o aquaviário e o portuário. Veja a seguir alguns dos principais cursos promovidos anualmente:

  • Técnico em eletricidade;
  • Técnico em telecomunicações;
  • Técnico em eletrônica;
  • Técnico em automação;
  • Cozinheiro;
  • Auxiliar de saúde;
  • Taifeiro;
  • Enfermeiro;
  • Técnico em manutenção de aeronaves;
  • Técnico em máquinas navais;
  • Técnico em construção naval;
  • Técnico em eletromecânica, mecatrônica e mecânica;
  • Técnico em fabricação mecânica;
  • Técnico em metalurgia.

Já o concurso público em si é aplicado de diversas formas, considerando que cada curso possui pré-requisitos diferentes por causa das áreas de atuação que existem na marinha. Por isso, não tem como estabelecer um perfil único para as exigências das instituições de ensino da marinha.

Mas em relação ao processo de admissão, ele é composto por várias fases sendo elas: prova teórica, avaliação psicológica, inspeção de saúde, exame de aptidão física e validação de documentos. O candidato que tiver todos os pré-requisitos necessários e passar por todas as etapas do processo de admissão é integrado ao curso informado no edital do concurso público. Nesse caso, o candidato se torna aluno e passa a realizar o curso sob regime de internato militar, conforme informa o próprio edital do concurso realizado.

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *